Uma Família Okinawana

Quando surgiu o mundo lá estava ele, Shinerikyu e ela, Amamikyu, as duas divindades criadoras de Ryukyu. Do seu relacionamento nasceram três crianças, sendo que a primeira foi um menino, o primeiro Rei do Reino de Ryukyu. A segunda criança foi uma menina, com poderes divinatórios e capaz de enxergar o mundo invisível, a primeira Kaminchu. E a terceira criança é a humanidade. Participe deste curso livre inédito do site japanologia sobre parentesco okinawano e as tradições de Okinawa.

19/04, 26/04, 03/05 e 10/05 de 2022, terças, 20h às 22h.

SOBRE O CURSO

Quando surgiu o mundo lá estava ele, Shinerikyu e ela, Amamikyu, as duas divindades criadoras de Ryukyu. Do seu relacionamento nasceram três crianças, sendo que a primeira foi um menino, o primeiro Rei do Reino de Ryukyu. A segunda criança foi uma menina, com poderes divinatórios e capaz de enxergar o mundo invisível, a primeira Kaminchu. E a terceira criança é a humanidade.

As tradições okinawanas são invariavelmente atravessadas pela Família. O calendário ritual, um sistema complexo de proteção e reciprocidade entre vivos e mortos e o próprio cuidado e mediação com as divindades passam sempre pelo parentesco.

Participe deste curso livre inédito do site Japanologia, voltado para todas e todos interessadas e interessados nas tradições de Ryukyu em seus mais variados graus de escolaridade. Este curso faz parte da iniciativa do site Japanologia para ampliar os Estudos Ryukyuanos no Brasil (Ryukyugaku).

Módulo 1 – Parentesco Okinawano

Neste primeiro encontro teremos um debate sobre os princípios organizadores do parentesco okinawano. Conheça neste encontro conceitos-chave como Munchu e sua relação de deveres e obrigações entre parentes vivos e falecidos. Neste encontro veremos como a família é um dos sustentáculos mais poderosos da reprodução social okinawana, garantindo a transmissão de tradições que chegam, inclusive, no Brasil com as/os descendentes de okinawanas/os.

Módulo 2 – Costumes Funerários

Não é porque uma pessoa falece e deixa este plano que deixa de ser parente. Os cuidados rituais com aquelas/aqueles que partem são fundamentais para se compreender a sociedade okinawana, considerando aqui os costumes funerários observados em Okinawa e no Brasil.

Módulo 3 – Culto à Família

Neste terceiro encontro observaremos a rápida transformação da sociedade japonesa, considerando Neste terceiro encontro teremos o debate sobre o Culto aos Antepassados okinawano (Sosen Suuhai), considerando sua diversidade de práticas nas Ilhas Ryukyus. Entenda suas origens e desdobramentos contemporâneos neste ritual fundamental que une os parentes vivos e falecidos sob as mesmas tradições.

Nesta última aula especial teremos uma discussão sobre a cosmologia ryukyuana e o seu complexo sistema de dias rituais. Tanto a percepção de tempo quanto a construção social do espaço nas Ryukyus são marcadas pelas relações de parentesco, sendo uma porta de entrada para compreendermos as tradições okinawanas sob outra perspectiva.

Quando: 19/04, 26/04, 03/05 e 10/05 de 2022, terças, 20h às 22h.

Onde: Plataforma Zoom (curso on-line).

Inscrições: para informações e valores enviar e-mail para acenbsc@gmail.com. Pagamentos aceitos via TED e PIX.

Informações importantes

As aulas também ficarão disponíveis off-line para que os alunos inscritos possam acessar o conteúdo posteriormente. Caso seja necessário rearranjar os horários das aulas, isso poderá ser feito de acordo com as necessidades dos participantes.

DURAÇÃO E FORMATO

4 aulas de 2 horas cada (com intervalo e momento de discussão), ministradas ao vivo no aplicativo Zoom.

PARA QUEM ESTE CURSO É VOLTADO

Este curso é voltado a todos os interessados nas temáticas referentes à Okinawa e cultura okinawana, independentemente da sua escolaridade. Como característica dos Estudos Okinawanos, este curso recorre a leituras de várias áreas do conhecimento, podendo ser interessante para todos aqueles que se interessem em Ciências Humanas, em especial Antropologia Social, História, Psicologia e Sociologia.

FACILITADOR

Prof. Dr. Victor Hugo Kebbe – Doutor em Antropologia Social pela UFSCar; ex-fellow de Japanese Studies/Intellectual Exchange da Japan Foundation (Tokyo, Japão); ex-pesquisador associado da Faculdade de Educação da Shizuoka University (Shizuoka, Japão); ex-pesquisador associado do Nanzan Anthropological Institute e do Nanzan Institute for Religion and Culture (Nagoya, Japão); Pós-Doutor pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, UFSCar e Nanzan University.

CURSOS ACENB E JAPANOLOGIA

A parceria entre a Biblioteca Temática da ACENB São Carlos e o site Japanologia completa cinco anos em 2022, levando a todos os interessados várias discussões envolvendo a cultura japonesa sob diferentes perspectivas. Os cursos têm sido ministrados ininterruptamente ao longo destes anos, contribuindo para o entendimento da cultura e sociedade japonesa.

DEPOIMENTOS DE ALUNOS

Aprendi muito sobre a cultura do Japão, principalmente dos nossos ancestrais. Tive a oportunidade de conhecer sobre os hábitos, a arte, a estética, a filosofia, a religião… Outro ponto positivo do curso é que o Prof. Victor Hugo sempre nos dá boas dicas sobre livros, filmes, lugares a conhecer… Portanto, gostaria de continuar, pois sinto-me motivada a pesquisar e a questionar cada vez mais sobre minhas origens. – Tereza

Os cursos são muito ricos pra quem tem interesse em entender melhor a cultura japonesa em seus aspectos históricos, artísticos, culturais, filosóficos e religiosos. Além disso, sempre há indicações de materiais (livros, filmes, etc.) para aprofundamento. – Mayara

O que os cursos que o professor Victor Hugo Kebbe ministra na ACENB São Carlos têm de mais singulares são o total alcance nos mais diversos públicos que participam de suas aulas através de uma didática clara e o uso muito apropriado das referências culturais (livros, filmes, animes, mangás) e pessoais através de suas experiências in loco no Japão. Não há aqui o ranço acadêmico que tanto assusta leigos e nem tão pouco a superficialidade que afasta os mais familiarizados com o assunto. Para os jovens ocorre a descoberta, para os adultos a redescoberta de signos e significados que fazem ou fizeram parte de suas vivências, mas não tinham sido explorados ao ponto de serem identificados e apreciados. Ao final todos descobrem um outro eu pelo olhar cultural, histórico e social do Japão. – Renato